Cadastre-se ou faça login     Youtube LinkedIn Twitter Facebook Instagram

Notícias > Projeto-piloto testa automatização de monitoramento em barragem da capital paulista

Publicado em 26/03/2008

Tanto hidrelétricas como reservatórios para abastecimento público são estruturas que precisam de monitoramento constante, devido ao imenso volume de águas represadas artificialmente e a susceptibilidade às variações climáticas e de vazão de água. “O monitoramento de barragens constitui-se em uma das ferramentas, que auxilia a minimizar a possibilidade de riscos de acidentes e, por isso, deve ser tratado com muita responsabilidade”, garante Walmir Capeloza Varga, engenheiro do Departamento de Engenharia da Empresa Metropolitana de Águas e Energia (EMAE), do Estado de São Paulo.

 

Pensando nisso, a EMAE, contratou uma empresa especializada em instrumentação geotécnica que em parceria com a Ag Solve Monitoramento Ambiental, instalou um projeto piloto de automatização da instrumentação para monitoramento na Barragem do Rio Grande, em São Paulo. Lá, está em funcionamento o Sistema de Automatização de Leituras de Medidores de Nível D’água, Piezômetro e Níveis D’água de Reservatórios - um conjunto de equipamentos que coleta as leituras e envia automaticamente para o banco de dados do Gerenciamento de Dados de Auscultação do Sistema Hidráulico (GDASH), agilizando o recebimento e a compilação das informações. Segundo o engenheiro, o projeto pretende analisar e testar o funcionamento destes equipamentos para o monitoramento em barragens, bem como avaliar a possibilidade de implantação desta alternativa em outras estruturas. “De maneira geral, o projeto tem atendido às expectativas e num próximo momento será avaliada a necessidade de ampliação deste sistema”, afirma o engenheiro. A velocidade na aquisição e análise dos dados e os recursos oferecidos pelos softwares têm sido cada vez mais necessários para os trabalhos de monitoramento, principalmente em estruturas de alto risco como as barragens.

 

Segundo Varga, além de investimentos em novas tecnologias, há também necessidade de  comprometimento das áreas de manutenção das empresas proprietárias de barragens para que se possa garantir a qualidade do monitoramento e, conseqüentemente, a segurança das estruturas. “A instrumentação é uma das atividades que faz parte do monitoramento de estruturas que, somada às inspeções e outros procedimentos do Manual de Segurança e Inspeção de Barragens, do Ministério de Integração Social, completam as atividades relativas ao acompanhamento da segurança das estruturas”, finaliza Varga.

Precisa de ajuda para escolher a melhor solução para sua aplicação?

Nossos especialistas podem ajudá-lo. Entre em contato.

Fale Conosco
WhatsApp