Cadastre-se ou faça login     Youtube LinkedIn Twitter Facebook Instagram

Notícias > Chuva: monitoramento com qualidade e precisão requer equipamentos de qualidade

Publicado em 13/10/2011
Chuva: monitoramento com qualidade e precisão requer equipamentos de qualidade

Pluviômetros precisos, de fácil operação, chegam ao Brasil pela Ag Solve, para aplicações industriais, pesquisas e monitoramento meteorológico 

Os produtos da Hydrological Service, empresa australiana referência mundial em pluviômetros automáticos, estão entre os mais renomados pelos organismos nacionais e internacionais de meteorologia. No Brasil, a empresa acaba de fechar uma parceria de integração de sensores com a Ag Solve, possibilitando que os pluviômetros mais modernos e precisos do mercado cheguem até os brasileiros. Entre os produtos da Hydrological Service que estão sendo lançados pela Ag Solve estão os novos pluviômetros:  TB3, TB4 e TB6, indicados para aplicações industriais, pesquisas científicas e monitoramento meteorológico.

De acordo com Mauro Banderali, especialista em monitoramento ambiental da Ag Solve, “diferentemente de outros pluviômetros que registram apenas intensidades baixas e médias, estes pluviômetros foram desenhados, produzidos e calibrados para todas as intensidades, podendo registrar intensidades de até 700 mm/h”. Segundo ele, os pluviômetros Hydrological Service são muito semelhantes externamente, mas internamente possuem partes e calibração diferentes e são completamente distintos.   “Mas qual é a importância de se medir a chuva em intensidades de 700 mm/h?”, provoca Banderali.  A grande vantagem de se medir essa intensidade é garantir que quando aquela chuva de grande intensidade e rápida que ocorre em minutos nas cidades ou no campo pode ser medida com esses equipamentos, ao contrário de equipamentos convencionais que trabalham a intensidades de até 150 mm/h e apresentam grandes incertezas a partir desses  limites.

“O TB3 é um instrumento de pesquisa que utiliza funil de 200 mm de diâmetro, sifão para regularizar o fluxo de água, mancais de safira para ter o menor atrito e  longevidade do equipamento, base em alumínio entre outros detalhes”, explica Banderali. Nesse aparelho equipado com básculas (mecanismo semelhante a um monjolo, porém equipado com duas destas básculas), cada enchimento e descarte da água gera um pulso que é então lido pelos registradores de dados como sendo um volume predeterminado de precipitação.  O acúmulo de muitos pulsos em um determinado período caracteriza o volume e a intensidade da chuva.  Sua incerteza de medição é de cerca +/ 2%  para precipitações de 0 a 250 mm/h e +/ 3% de 250 a 500 mm/h, capaz de dar vazão e mensurar chuvas até 700 mm/h. Para um instrumento de 0,2 mm de chuva por basculada, considerando-se uma chuva de 50 mm, temos o equivalente a 250 ações de “descarregamento do monjolo”, então um pluviômetro preciso demanda uma grande equivalência de volume 250 vezes em uma única chuva de média intensidade.  É isso que um instrumento Hydrological Services proporciona e a Ag Solve integra em seus sistemas. 

O TB4 é um instrumento semelhante ao TB3, porém sem o extremo refinamento dos TB3 quando à báscula, base e detalhamento da calibração, entre outros pontos. Possui área de coleta de 200 mm como os demais, porém base injetada em plástico ABS com proteção UV, mancais e eixo em aço inoxidável, básculas desenhadas e construídas para uma excelente estabilidade de operaçõa e mínima deposição de materiais.  Já o Pluviômetro TB6 é o modelo mais simples  utilizado como padrão mundial para medição de chuva em locais remotos e que requerem sistemas autônomos. Este instrumento, diferente dos demais não possui sifão em seu funil, dispositivo que implementa maior regularidade na operação de um pluviômetro, mas ainda assim oferecerá ótimas condições de leitura da intensidade e volume de chuva.

Precisa de ajuda para escolher a melhor solução para sua aplicação?

Nossos especialistas podem ajudá-lo. Entre em contato.

Fale Conosco