Cadastre-se ou faça login     Youtube LinkedIn Twitter Facebook Instagram

Notícias > Sensor ótico HQd é robusto e dispensa necessidade de manutenção prévia

Publicado em 12/02/2010

Sensor luminescente possibilita medição mais precisa de Oxigênio Dissolvido na água

 

 

A utilização de sensores de boa qualidade, juntamente com métodos adequados e profissionais qualificados, influencia diretamente nos dados obtidos que, por sua vez, interferem em todo o projeto de análise da qualidade da água. Segundo Bruno Bertoni, especialista do Departamento Técnico da empresa de monitoramento e remediação ambiental Ag Solve, “contando com dados confiáveis, é possível se estabelecer uma estratégia de trabalho muito mais eficiente e, com certeza, os resultados serão os melhores possíveis”. Por isso, a tecnologia empregada no equipamento a ser utilizado, faz toda a diferença na hora do monitoramento.

 

Novos aparelhos com o sistema de luminescência são os mais eficientes, atualmente, para a medição de Oxigênio Dissolvido (OD) na água, de acordo com Bertoni. A medição de OD é utilizada para quantificar a concentração de oxigênio em amostras de águas subterrâneas ou superficiais. Com aplicações freqüentes em campanhas de amostragem em águas subterrâneas, em locais potencialmente contaminados ou em efluentes industriais.

 

O especialista explica que “o novo sensor LDO (Luminescent Dissolved Oxygen), como o nome já diz, trabalha com o principio da luminescência, onde feixes de luz são utilizados para a quantificação do oxigênio. A tecnologia inovadora traz vantagens, como maior precisão e, consequentemente, maior confiabilidade nas medições. Além disso, elimina a substituição de membranas como nos sensores antigos (célula Clark), dispensa solução de referência e ainda possui tecnologia que não necessita calibração freqüente, que passa a ser anual”. Bertoni explica que ”o sensor trabalha com um conjunto de "cap" e "memória", que são calibrados juntos na fábrica. Durante um ano não há calibração e o sensor avisa ao usuário seu vencimento”.

 

Outras vantagens podem ser destacadas. “Em caso de alguma avaria no "cap", é necessário somente comprar um novo juntamente com a memória e substituí-los. O sensor estará calibrado e pronto para ser usado novamente. Além disso, o sensor é de fácil manuseio e utilização, pois trabalha com o sistema "plug and play", sendo necessário somente conectá-lo ao display e realizar as medições. O sensor quantifica a concentração de oxigênio na água (oxigênio dissolvido). As leituras são indicadas no display em mg/L ou em porcentagem de saturação”.  Segundo Bertoni, vale ressaltar a importância dos cuidados com o armazenamento e utilização a campo para evitar possíveis avarias mecânicas, pois o sensor trabalha com tecnologia de luminescência, exigindo que o "cap" esteja em boas condições para produzir dados precisos e confiáveis.

 

 

Precisa de ajuda para escolher a melhor solução para sua aplicação?

Nossos especialistas podem ajudá-lo. Entre em contato.

Fale Conosco