Cadastre-se ou faça login     Youtube LinkedIn Twitter Facebook Instagram

Notícias > Low Flow é mais vantajoso

Publicado em 28/07/2008

As águas subterrâneas abastecem exclusivamente ou parcialmente, as principais cidades do País, como Ribeirão Preto, no Estado de São Paulo, Maceió, em Alagoas, Mossoró e Natal, no Rio Grande do Norte, entre muitas outras, segundo a Associação Brasileira de Águas Subterrâneas (ABAS). Na rotina do ambiente urbano, postos de combustíveis e indústrias podem ser fontes de contaminação destes recursos, que precisam ser freqüentemente monitorados para manter sua qualidade.

 

Atualmente, existem vários procedimentos para a amostragem de águas subterrâneas, porém, segundo os especialistas, é por meio do uso da amostragem  Low Flow que há a possibilidade da coleta de uma amostra mais representativa e controlada da água subterrânea. “Neste procedimento, as amostragens são realizadas de forma lenta e branda, o que garante a máxima representatividade do material colhido, principalmente, no que diz respeito à baixa turbidez e mínimo rebaixamento do nível da água. A amostragem em baixa vazão impede a perda de voláteis e outros contaminantes contidos nas amostras, minimizando mistura entre camadas, turbilhonamento, e bolhas de ar em cada coleta, o que evita a sua oxidação. Isto torna o material colhido muito mais significativo para as análises laboratoriais”, explica Aguinaldo Pavanelo, consultor técnico da Ag Solve, empresa especializada em monitoramento ambiental.

 

Mas por que é mais vantajoso?

 

Segundo ele, o simples fato do sistema qualificar a amostra já o torna muito mais vantajoso que os demais. “Uma amostra bem feita evita custos adicionais com disponibilidade de equipamentos, viagens e mobilização da equipe para refazer os trabalhos, além de também evitar transtornos entre laboratório e consultoria”. Outro benefício do método de amostragens em baixa vazão é que ele pode ser usado nos mais variados casos ou locais. “Desde que se constatou que há risco de contaminação, a área pode e deve ser monitorada constantemente, assim como em passivos ambientais”, afirma Pavanelo.

O método de amostragem Low Flow é bastante simples de ser implementado, desde que se tenham os equipamentos adequados. Ele pode ser desenvolvido com bombas peristáticas até 6 metros e com dispositivo especial de amostragem ainda no vácuo; por bombas pneumáticas com ou sem bexiga; por bombas inerciais com configuração de amostragem (com tubo interno a bomba de amostragem; e ainda com bombas elétricas 12 V com controlador especial de controle de vazão. Além da bomba, o usuário precisa dos acessórios do dispositivo de amostragem e de um instrumento de qualidade da água, que monitore as variáveis de temperatura, condutividade elétrica, pH e ORP, além de oxigênio dissolvido e turbidez. A Ag Solve possui a mais ampla linha de bombas e sonda multiparamétricas para aplicação em Low Flow, contando inclusive com o exclusivo sensor de oxigênio por luminescência, produto  flexível, inovador e exclusivo da linha Hach, o HQ40D. A Ag Solve é representante das marcas Solinst, Waterra, Hach, entre outras; são empresas que estão associadas a equipamentos simples, precisos e eficientes para amostragem  em baixa vazão de águas subterrâneas.

Precisa de ajuda para escolher a melhor solução para sua aplicação?

Nossos especialistas podem ajudá-lo. Entre em contato.

Fale Conosco